Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 14 de junho de 2011

LIX DA CUNHA ( LIXC4 )

Perfil da Empresa

A expansão e o crescimento da empresa, gradativos e firmes, levaram-na a tornar-se uma empresa diversificada, atuando em diferentes áreas como: empreendimentos, infra estrutura de loteamentos, construção de plantas industriais, terraplenagem, pavimentação e manutenção de estradas, pontes, viadutos, saneamento básico, construções habitacionais populares, edifícios residenciais e comerciais.

A Construtora Lix da Cunha S.A. foi fundada em 06 de janeiro de 1924, em Campinas, pelo engenheiro e arquiteto Lix da Cunha.
Empresa de capital aberto, inteiramente nacional, composta por suas controladas: Lix Empreendimentos e Construções Ltda., Pedralix S.A. Indústria e Comércio, Lix Incorporações e Construções Ltda., CBI Industrial Ltda., CBI Construções Ltda. e Lix Construções Ltda.
A Lix da Cunha cresceu devido principalmente a dois fatores básicos: a confiança que conquistou de seus clientes pela excelente qualidade de seus serviços e ao trabalho perseverante com alto grau de profissionalismo de sua equipe técnica.
A expansão e o crescimento da Lix da Cunha, gradativos e firmes, levaram-na a tornar-se uma empresa diversificada, atuando em diferentes áreas:
Construção de plantas industriais, terraplanagem, pavimentação e manutenção de estradas, pontes, viadutos, saneamento básico, construções habitacionais populares, edifícios residenciais e comerciais.
No segmento de construções industriais, obteve grande destaque nestes últimos vinte anos, tendo sido responsável por contratos de vulto para importantes indústrias de diferentes setores da economia nacional, notadamente: química, petroquímica e farmacêutica, papel e celulose, automobilística e mecânica em geral, agroindústrias, produtos alimentícios, teste e de diversas outras atividades.
Paralelamente, executou importantes obras rodoviárias, com serviços de terraplanagem e pavimentação, construção de pontes e viadutos para órgãos públicos e estaduais e para clientes privados.
No setor de edificação tem atuação marcante na construção de edifícios residenciais e bancários, hospitais, escolas e em conjuntos habitacionais populares em diversas regiões do estado.
Na maioria dos contratos, a construtora assume os serviços de instalações elétricas e hidráulicas, de ar comprimido, sistema de prevenção contra incêndio, telefonia, sonorização de instalações de laboratórios, cozinhas industriais, câmaras frigoríficas e outras necessárias, bem como as obras de apoio e infra estrutura, como sub estações e cabines elétricas, reservatórios de água, sistema de drenagem de águas pluviais e tratamento de efluentes.
Mais de sete milhões de metros quadrados de pavimentação asfáltica entre rodovias e sistemas viários municipais; mais de quatro milhões de metros cúbicos de movimentação de materiais, são números básicos dos setor de pavimentação e terraplanagem acumulando também, experiência na área de pavimentação de obras especiais e na construção de pistas de testes de veículos, obras que apresentam requisitos técnicos especiais pelo seu grau de dificuldade e especificações apuradas e que constam de seu acervo tecnológico.


Em 2008, prosseguiu-se com o processo de reestruturação da empresa visando principalmente sua recuperação financeira e a melhora nos índices de produtividade e recuperação operacional.

Abaixo, relacionam-se aspectos relevantes da Empresa:

A Lix, que tem o seu capital aberto ao mercado desde 1972, teve considerável aumento no volume de negócios de suas ações na BOVESPA, o que acabou refletindo na boa valorização das ações da companhia.

A Administração avalia que este bom desempenho no mercado de capitais é decorrência da perspectiva favorável para o mercado da construção civil em geral, e da correção das medidas tomadas para saneamento financeiro da empresa.


ANÁLISE DO DESEMPENHO

O ano de 2008 foi profundamente marcado pela crise econômica a partir de setembro, e a rápida deterioração do mercado de capitais causou impactos muito fortes no segmento de construção civil. A Lix da Cunha infelizmente não passou imune a esse momento e sofreu principalmente pela queda de investimentos e pela queda na procura de imóveis novos.

Apesar da crise mundial, a economia brasileira se mostrou flexível e com grande capacidade de recuperação. O mercado se mostrou otimista, o que trouxe boas expectativas de crescimento e a Lix da Cunha estrategicamente está aproveitando ao máximo essa onda de otimismo para se recuperar e voltar a crescer de forma saudável e sob fundamentos sólidos.


Acordos para Recebimento de Créditos

Novos acordos para recebimento de créditos foram formalizados em 2008, que, acrescidos aos acordos que já vinham sendo cumpridos, possibilitaram o necessário fôlego financeiro para a empresa.


Débitos negociados e quitados...

Avançou-se bastante na quitação dos passivos trabalhistas, através do pagamento de rescisões pendentes e diversos acordos formalizados no âmbito das reclamações trabalhistas

Também foi possível formalizar acordo com alguns fornecedores e um banco, este último com desconto de 87%.

No início de 2009 foi firmado acordo com o principal credor fornecedor, tendo sido obtido um desconto de 25% e parcelamento em 20 meses com reajuste anual.

Além disto, foi efetuado o pagamento dos dividendos pendentes referentes ao exercício de 2001, e, em 2009, foi iniciado o pagamento parcelado dos dividendos pendentes referentes ao exercício de 2002.

Parceria com a empresa Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário (CCDI)

Novas Parcerias Firmadas;
A empresa firmou parceria com importantes investidores de Campinas para construção de dois edifícios de alto padrão: Dona Cila, no Jardim Proença e o The One Loft no bairro Cambuí
Diversas negociações com importantes empresários e investidores de Campinas e região estão em andamento tanto na área imobiliária quanto na área de infra-estrutura para início das obras no próximo ano.

Conquista do Prêmio Marcas de Sucesso

Pela oitava vez consecutiva, a Lix conquistou o prêmio Marcas de Sucesso, decorrente de uma pesquisa patrocinada pelo Jornal Correio Popular de Campinas.
Considerando o grande número de empresas de projeção nacional do ramo imobiliário que estão presentes no mercado de Campinas, a lembrança do público campineiro é o reconhecimento da qualidade dos empreendimentos da Lix.


ANÁLISE DOS RISCOS


Primeiramente, devem ser destacados os riscos do mercado de construção em geral, como o relacionado a obras públicas, em que se destacam os riscos de inadimplemento e de paralisação abrupta do contrato. Não obstante a lei de responsabilidade fiscal ter pretendido resolver, ao menos em parte, estas questões, a companhia entende que, no momento, o mais adequado é não atuar neste segmento, à exceção de obras específicas em que se tenha melhor controle de tais fatores, como, por exemplo, obras de infra-estrutura com financiamento de
bancos de desenvolvimento.

Outro risco de caráter geral é a possibilidade de oscilação, acima do projetado, dos custos de mão-de-obra e dos materiais, o primeiro acarretado pela migração dos trabalhadores da construção civil para outros setores devido ao longo período de estagnação do setor e, o segundo pela escassez de alguns produtos decorrente do aumento da demanda, superior à capacidade produtiva, também estagnada durante vários anos, além de alguns monopólios que ainda controlam os preços de importantes materiais de construção civil. Para enfrentar esta situação, que já é uma realidade, deve ser redobrada a atenção na elaboração dos orçamentos das obras e, instituir gatilhos de proteção, nos contratos.

Para este momento, o principal risco identificado é a interrupção da recuperação econômica e o recrudescimento da crise global, com reflexo nas empresas brasileiras que, diante dos maus resultados, poderão adiar, ainda mais, seus investimentos e intensificar as demissões, o que poderia agravar, ainda mais, os problemas econômicos e sociais.

Trata-se de um risco sistêmico que só pode ser controlado com medidas rápidas e abrangentes dos governos, visando estabilizar os mercados.

Tal cenário poderá ocasionar reflexos importantes no setor imobiliário, acarretando dificuldade de venda das novas unidades e inadimplência nas vendas já realizadas.

Tais riscos não podem ser eliminados, mas apenas mitigados através de pesquisas de mercado para identificação do produto correto e do público alvo adequado.

Por fim, importante destacar um risco específico da companhia relacionado com o eventual descasamento de “timing” entre recebimento dos créditos e pagamento dos débitos.

Esta questão, apesar de minimizada com os novos acordos formalizados, demanda uma atenção redobrada para a correta utilização dos recursos, de forma a atender as prioridades, obter descontos, no mínimo nos mesmos percentuais concedidos pela empresa e a formalização de novos acordos para viabilização de outros recebimentos.

Na avaliação dos administradores este é o fator determinante para a recuperação da empresa, e tem sido gerenciado com muita dedicação e empenho.


O CENÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

O anúncio do Plano de Aceleração do Crescimento, que, como não poderia deixar de ser, conferiu importante destaque à construção civil, deu novo alento ao setor.

Afinal, o mercado em geral visualizou que a tendência é o aquecimento e crescimento do setor da construção civil, seja através das obras de infra-estrutura, imprescindíveis para a melhoria da competitividade do Brasil a nível do mercado globalizado, seja através do incremento das obras habitacionais, cuja demanda esteve reprimida ao longo das últimas décadas.

Com o aquecimento da economia e a expansão do crédito imobiliário além da manutenção do programa de governo “Minha Casa Minha Vida”, a expectativa do setor é muito otimista para o próximo ano principalmente para os empreendimentos voltados para famílias de média e de baixa renda.

Somam-se a isso os significativos investimentos que serão necessários para reformar e construir novas instalações desportivas para receber a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016, fatos que deverão aquecer ainda mais o segmento de construção civil.

Este cenário favorável deverá aumentar a captação das empresa no mercado de capitais e principalmente impulsionando a geração de empregos e despertar o interesse de investidores em novos projetos e empreendimentos.

SAZONALIDADE: O faturamento da empresa apresenta uma estacionalidade mais marcante durante o período compreendido entre dezembro e março, quando o excesso de precipitações pluviométricas reduz o ritmo das obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário